Logo
 Imprimir esta página

Vinho português abre mercado a outros produtos alimentares nacionais no Reino Unido Destaque

Vinho português abre mercado a outros produtos alimentares nacionais no Reino Unido

A boa reputação do vinho português está abrir portas para outros produtos alimentares no Reino Unido, acredita o empresário português José Cruz, cuja empresa de importação está a apostar para além do "mercado da saudade".

"Houve um trabalho de promoção bem feito e os produtores souberam desenvolver algo que é único e reconhecido", afirmou, em declarações feitas.

Foi esta ilação que levou a Atlântico, um dos principais importadores de produtos alimentares portugueses para o mercados britânico, resolveu realizar um evento de prova do seu catálogo a 05 de março na capital britânica.

O evento terá lugar no mesmo dia da prova de vinhos anual realizada pela ViniPortugal em Londres, que reunirá mais de 100 produtores portugueses representantes de mil vinhos diferentes.

Na sala estarão para degustação café, charcutaria doces, queijos, bebidas e outros produtos como temperos, muitos dos quais apresentados pelos respetivos produtores ou representantes.

"Queremos aproveitar um evento realizado a uma curta distância e mais virado para o público britânico para tentar atrair proprietários ou responsáveis pelas compras de restaurantes ou retalho", explicou o responsável pelas vendas e marketing da Atlântico, Ivo Afonso.

Criada há mais de 20 anos por José Cruz, ele próprio radicado há 34 anos no Reino Unido, a Atlântico tem atualmente um volume de negócios de 10 milhões de libras (14 milhões de euros), incluindo quatro lojas em Londres.

Nos últimos anos, fez uma aposta na promoção e vendas e também na abertura da própria loja na Internet, cujo negócio cresceu 2.000 por cento desde 2013.

"A comunidade portuguesa [no Reino Unido] está a crescer, mas o mercado da saudade não acompanha. Os novos emigrantes já não procuram as mesmas coisas e estão mais dispersos no país. A venda online combate a distância e a dificuldade de transporte", justificou Ivo Afonso.

Atualmente, o mercado étnico, que inclui portugueses, brasileiros e outras comunidades lusófonas, ainda representa 60% da faturação, mas os clientes britânicos, que incluem desde restaurantes e mercearias a hotéis e empresas de catering, têm crescido e contam agora 40%.

Entre os produtos mais apreciados, conta aquele responsável, estão as Ameixas de Elvas, o azeite, vinho verde, o queijo da Ilha de São Miguel, chouriço de porco preto e os pastéis de nata.

Recentemente, a pasta de sardinha, outro dos favoritos junto dos consumidores britânicos ganhou relevo, ao garantir um contrato à Atlântico com a Tesco, uma das maiores redes de supermercados no Reino Unido.

"Deverá estar à venda no segundo trimestre de 2015. Não estará a nível nacional, mas estará junto aos patês, fora da secção comida étnica", enfatizou.

Rede Nós Cá Fora.be: Banco ING - Lusidis (Delta Cafés)